Sobre: 2014

2014-2015

Cheio. Essa palavra que define meu ano, completamente cheio. Mas cheio de que querida? Cheio de tudo, de experiências, pessoas novas, situações novas, novos lugares que me transformaram numa nova Carol. Demorei muito pra sentar e escrever esse post justamente porque eu tinha que sentar pra refletir e chegar a uma conclusão do que esse significou pra mim. Hoje posso dizer do fundo do meu coração que significou muito. Significou tudo. Saio desse ano com muitas cicatrizes, as feridas já fecharam, mas as marquinhas vou carregar pro resto da minha vida, mas também com muitas alegrias, muitos sorrisos muita coisa boa dentro peito.

Sempre me senti meio deslocada, diferente de quase todo mundo que eu conhecia, uma estranha. Mas pra mim sempre foi normal ser estranho e até agora eu não entendia o porque. É legal porque quando você é igualzinho a todos na prateleira, você é só mais um… Agora quando é diferente, a maioria das pessoas te ignoram, tem medo que seja ruim, que seja fraco, você assusta. Até que algum corajoso te pega pra experimentar. E esse gosta, e vai até o final da vida com você. Assim são meus amigos, pessoas que tiveram coragem de arriscar e me conhecer a fundo. Esse ano tanta gente entrou na minha vida, e meu coração tá repleto de felicidade por estar abrigando tanta gente merecedora.

Esse ano aprendi que minha amada Cássia Eller tinha razão quando dizia que o pra sempre, sempre acaba. Aprendi a nunca dizer nunca (ops) justamente porque a vida (quero me referir a nós mesmos!) nos prega algumas peças, e quando vamos ver, aquela pessoa que jurávamos que nunca sairia das nossas vidas, desaparece sem deixar rastros. E você? Nem sente falta. Exato! Não sente, porque outra coisa que aprendi é que nós mudamos, e se hoje não precisamos ou queremos algo – ou alguém – amanhã não vamos mais. Dói um pouco, mas não mata não.

Algumas pessoas se vão, mas não por escolha própria. É a lei da vida, a gente nasce, cresce, se reproduz e morre. E quando alguém morre, nós morremos um pouco com essa pessoa. A saudade não passa, é algo que nunca vai passar. A dor some com uns dias, você toca sua vida pra frente e consegue viver normalmente. Mas sempre faltará algo. Nunca tinha perdido ninguém tãao próximo, e eu espero que demore muito, mas muito mesmo pra eu perder de novo! Meu avô era meu segundo pai, mas sei que agora Deus cuida dele, e todas as noites eu o abraço eu meus pensamentos.

2014 foi assim, cheio de altos, baixos… Mas só tenho a agradecer, nunca me senti tão eu quanto agora, acho que tô começando a achar meu lugar no mundo, e essa sensação é incrível. Desejo que 2015 seja mais sereno, com mais ganhos do que perdas, que eu continua evoluindo e me descobrindo mais e mais. Que eu possa sorrir, chorar, e permanecer com coração leve. Leve para que o vento me leve, me leve para 2015 com um sorriso no rosto e um peito para novas possibilidades.

Anúncios

Me conte o que achou...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s